A Nova Geração do Ultraman

A Nova Geração do Ultraman

O super-herói japonês está de volta à telinha na nova série animada da Netflix que resgata o clássico personagem do país do Sol Nascente.

Quando Eiji Tsuburaya decidiu criar a série Ultraman para a rede TBS – Tokyo Broadcasting System no inicio dos anos 60, o talentoso homem de efeitos especiais já tinha em seu currículo ter feito o clássico Godzilla – O Rei dos Monstros (1954), Rodan – O Monstro do Espaço (1956), Mohtra – A Deusa Selvagem (1961), entre outras produções do gênero. Na televisão, fez sua homenagem a Rod Serling criando sua própria versão da antologia de de ficção e suspense, Além da Imaginação, com a série Ultra Q, de 1965, onde o diferencial era um monstro gigante por semana.

Com Ultraman, Eiji imaginou que se esses monstros todos que invadem o nosso planeta poderia ter um adversário tão poderoso quanto as gigantescas criaturas. Surge então, o policial do espaço Ultraman, que vem da Galáxia M78, transportando um prisioneiro quando sua nave se choca acidentalmente com o jato da Patrulha Cientifica, organização de defesa da Terra.

O aparelho era pilotado pelo patrulheirio Shin Hayata (Susumo Kurobe) que morre no acidente. Para corrigir o erro, Ultraman traz Hayata de volta a vida, transferindo seus poderes para o humano. Hayata, por sua vez, cada vez que estiver em perigo ou tentar ajudar pessoas em perigo, tem que usar a Cápsula Beta, que libera os poderes do alienígena, transformando o patrulheiro em Ultraman, com 40 metros de altura.

Mas existe um “senão” para Hayata se transformar do gigante herói. Como a energia de Ultraman vem da luz, o herói só pode ficar poucos minutos na Terra para usar toda a sua força para derrotar qualquer monstro inimigo. Quando sua energia está acabando, a luz que tem em seu peito começa a piscar. Se parar, significa que Ultraman e Hayata estão mortos. Antes que isso aconteça, ele voa para o sol para se reabastecer.

A série estreou em 1967 no Japão e no ano seguinte no Brasil, pela Rede Bandeirantes, fazendo parte da primeira invasão japonesa na TV brasileira liderada por Nacional Kid dois anos antes. O personagem foi o primeiro de uma longa linhagem de heróis gigantes que formaram a Família Ultra. De seus irmãos, chegaram ao Brasil as séries Ultraseven, O Regresso de Ultraman, e mais recentemente, Ultraman Tiga e Ultraman Dina.

A nova série que chegou na Netflix é a mais nova versão do herói produzida recentemente no Japão. Ela é assinada pela dupla Kenji Kamiyama (Production I.G.) e Shinji Aramaki (Sola Digital Arts), responsáveis por séries animadas Ghost in the Shell: Stand Alone Complex e Bubblegum Crisis, respectivamente. A série foi feita em vários estilos de animação, incluindo computação gráfica, dando um dinamismo tão eficiente como no longa metragem Homem-Aranha no Aranhaverso.

Na série, Ultraman voltou ao seu planeta natal após eliminar quase todas as ameaças alienígenas. A Patrulha Científica deixou de existir e sua sede agora é o museu do Gigante da Luz, outra referência do personagem. Shin Hayata é o primeiro ministro do Japão que decidi visitar o museu para mostra ao seu filho Shinjiro. Mas um acidente acaba deixando claro que o filho de Hayata herdou vários poderes do antigo herói.

Dez anos se passam e o jovem adolescente começa a testar secretamente seus poderes, escondendo-os até do pai. Ao mesmo tempo, Shin descobre que a Patrulha Científica está na ativa por que existem milhares de alienígenas vivendo na Terra secretamente. Quando Shinjiro é raptado por Bemular, um Ultraman que pode ter atacado um avião de passageiros anos antes, Shin salva o filho e mostra uma ultra armadura para ele usar como novo defensor da humanidade. E é aí que a série ganha sua qualidade.

A série é uma daptação do mangá publicado em 2011 pela JBS, que mostra essa nova geração de Ultramans, mas que não ficam gigantes para combater os inimigos. Pelo contrário, a principal luta que Shinjiro tem é a de assumir seu novo papel de defensor. Mesmo com o apoio do pai, Shinjiro tem dificuldade em enxergar o certo do duvidoso, especialmente quando o líder do esquadrão de elite da Patrulha Científica, Dan Moroboshi, o obriga a eliminar as criaturas que estão sendo perseguidas.

E se não bastasse essa interessante dúvida existencial, a série ainda tem a busca por um assassino em série, que tem eliminado violentamente todas as pessoas que escrevem criticando a pop star Rena, garota por que Shinjiro tem uma certa paixão. São 13 episódios de 30 minutos cada, que vão construindo uma história de ação, aventura, suspense e um clímax de tirar o fôlego.

Se muitos fãs de Ultraman ficaram frustrados por que o teaser lançado de um longa metragem para comemorar os 50 anos nunca foi pra frente, a série que está na Netflix tem o sabor de uma grande homenagem. E que venha a segunda temporada...

MÉDIA 24 HORAS

Fonte: Kantar IBOPE Media / MW - Praça: São Paulo. Cada ponto equivale a 70.559 mil domicílios na Grande SP